Cidades

O fim que poderíamos evitar

Desde criança, muitas vezes ouvi dizer que o mundo ia se acabar. Manchetes sensacionalistas dos jornais anunciavam a catástrofe fornecendo detalhes das causas e até a data prevista para que isso acontecesse. A interpretação do calendário asteca levou estudiosos a concluir que o dia 21 de dezembro de 2012 seria o último de nossa existência. Estavam todos errados? Talvez, em relação às datas, mas não às previsões. O fim do mundo vem aí, e a Humanidade tem feito de tudo para adiantá-lo.

A Agence France-Presse (AFP), uma das principais agências de notícias do mundo, anunciou que o Supremo Tribunal dos Estados Unidos impôs, ontem, uma grande derrota ao Presidente americano Barack Obama ao suspender seu ambicioso programa de combate ao aquecimento global. Mais da metade dos Estados americanos se manifestaram, através de seus representantes políticos, na maioria republicanos, contestando o plano do Governo Federal no sentido de reduzir a emissão de poluentes das usinas termoelétricas.

kevin-mccarthyDe acordo com o líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, “Os regulamentos da administração (Obama) destruíram postos de trabalho, aumentaram os custos e colocam em risco a fiabilidade do nosso aprovisionamento energético”. O “speaker” (presidente) da Câmara dos Representantes, o republicano Paul Ryan, falou de uma “vitória para o povo e para a economia americana”.

paul-ryanMostrar os rostos desses políticos é importante porque não devemos esquecê-los. São pessoas que de agora em diante carregam a enorme responsabilidade pelo que pode acontecer a todo o planeta graças à escolha que fizeram: a de lutar pelos interesses econômicos das usinas termoelétricas, em detrimento da qualidade de vida de mais de sete bilhões de pessoas que vivem na Terra. Para eles, não importa que a temperatura  esteja subindo; importa que suas reservas financeiras pessoais estejam crescendo.

O que você tem a ver com a postura de políticos americanos?

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou na tarde do dia 28 de dezembro (2015) o Rio de Janeiro registrou a maior sensação térmica do ano —  55°C, às 15h, na estação da Restinga de Marambaia, na Zona Oeste. A temperatura máxima foi 38,1°C, na mesma região onde fica uma das estações do Inmet. Nesta última terça-feira a sensação térmica era de mais de 45 graus e a previsão para hoje era que chegasse a 50 graus.

O calor deste verão tem sido insuportável, especialmente para quem precisa sair de casa, andar de ônibus ou num carro sem ar condicionado. As temperaturas têm aumentado a cada ano. Todos temos nossa parcela de responsabilidade por isto. O desmatamento, a falta de preocupação com o plantio de árvores, o aumento da poluição, o excesso de veículos nas ruas, o uso indevido e indiscriminado dos recursos da natureza, tudo isso provoca impactos irreparáveis às condições de vida na Terra.

praia-copacabana

Milhões de pessoas aguardam com ansiedade o período de férias escolares e muitas fazem um enorme sacrifício para moldar seus corpos ao longo de meses com o único intuito de bronzeá-los durante o verão, se possível numa das maravilhosas praias brasileiras, sem se importar com os congestionamentos, com os preços extorsivos dos hotéis e casas de veraneio, mas, acima de tudo, ignorando os males causados pelo Sol, como o câncer de pele. Com as temperaturas elevadas, isto é ainda mais perigoso.

O que o Supremo Tribunal americano julgou e derrubou, ao menos temporariamente, foi, nada mais, nada menos que a aplicação do “Plano Clean Power” (Projeto de energia limpa), desenvolvido pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA), que exige que as usinas termoelétricas reduzam as emissões de CO2 em 32% até 2030 em relação a 2005, como parte de um programa que está no centro dos compromissos apresentados por Washington para preparar a conferência do clima de Paris e alcançar o acordo aprovado em meados de dezembro por 195 países. Isto é, cinco dos nove Juízes que compõem a mais alta instância jurídica dos Estados Unidos tomaram uma decisão meramente política que afeta bilhões de pessoas.

O câncer de pele

O câncer de pele é identificado pelas manchas que surgem na derme, principalmente em pessoas que se expõem demasiadamente ao Sol. Por isso é altamente recomendado o uso constante de protetor solar nesses dias de calor. Saiba identificar se um sinal é benigno ou maligno:

cancer-pele

Democratas x Republicanos

Embora as temperaturas elevadas sejam responsáveis por inúmeros incêndios que destruíram uma enorme quantidade de casas em determinadas regiões dos Estados Unidos, além de causar danos a todos, a discussão sobre o tema restringe-se às esferas políticas porque a população não se organiza e não se manifesta, quer por ignorância, quer por acomodação. Lutar por nossos interesses dá trabalho, exige sacrifícios, comprometimento e dedicação. Para a maioria, os políticos existem para cuidar desses assuntos e são regiamente pagos para nos defender. Entretanto, na prática isto não acontece. Grande parte dos que se lançam na vida política o faz por vaidade e interesses pessoais; encontra lá o ambiente perfeito para enriquecer rapidamente, promovendo ou defendendo lobbies de empresas particulares que podem recompensar muito bem seus aliados, muito mais baratos que os custos de qualquer medida que beneficie a coletividade.

O recado de Barack Obama foi dado, e para aqueles que não se importam com o bem geral fica o alerta: a natureza vai cobrar de vocês o que está sendo feito com ela.

barack-obama

Tags

Artigos relacionados

Leia também

Close
Close
%d blogueiros gostam disto: