Bragança PaulistaCidades

Moço, onde fica o ponto?

Se fosse uma pessoa de fora, tudo bem, mas um munícipe de Bragança Paulista perguntando onde fica o ponto de ônibus é muito, não acham? Pois, isto acontece com frequência nesta cidade onde os usuários sinalizam para os coletivos onde estiverem, e os ônibus param…

Tá, mas, e em dia de chuva?

Bragança Paulista quase não tem abrigos para os usuários de ônibus. Decerto a prefeitura deve achar que este é um investimento supérfluo, afinal, se os ônibus param em qualquer lugar, para que ponto?

ponto_prefeitura

O que se vê na foto acima é uma visão rara na cidade. Ao longo de toda a Avenida Antônio Pires Pimentel (onde fica a prefeitura), os pontos de ônibus são reconhecidos pela aglomeração de pessoas paradas e sem conversar.

Na segunda foto, um dos “pontos de ônibus” da Avenida Pires Pimentel, uma das principais avenidas de Bragança Paulista. Sem cobertura, sem assentos, sem indicação alguma, exceto a de solo, para os motoristas saberem onde deixar os passageiros depois de ouvirem o sinal. Crianças se sentam na calçada imunda e os adultos, quando se cansam, encostam nas paredes ou ficam de cócoras enquanto aguardam a chegada do transporte.

ponto_onibus

Será que não existem alternativas?

ponto_curitiba

Há um sem número de modelos de abrigos para usuários de ônibus urbanos espalhados por cidades, que poderiam ser copiados em Bragança Paulista, com custos baixos, médios e altos, a escolher. Porém, nos dias atuais, as alternativas são surpreendentes.

Os abrigos construídos com madeira plástica, por exemplo, não são dos mais baratos, mas têm vida útil muito longa e outras inúmeras vantagens. A madeira plástica é fabricada com material reciclado, sendo, portanto, ecologicamente correta. É resistente como aço, é leve, pode ser pintada e lavada, é imune a cupins, não conduz energia elétrica, não sofre a ação das intempéries e pode ser trabalhada com ferramentas próprias para madeira natural. Ou seja, ainda que custem um pouco mais que outras opções, a relação custo-benefício faz valer a pena.

madeira_plastica

Há modelos que permitem agregar publicidade ou informações sobre as linhas de ônibus, o que, se mantido por empresas privadas, pode reverter em faturamento, com retorno do investimento. Este modelo, por exemplo, é fornecido pela Fibromix, de São José dos Campos.

parcerias

Se estas alternativas forem consideradas sofisticadas demais para os padrões bragantinos, então, que tenhamos pelo menos abrigos simples, tradicionais, feitos com vigas de madeira e telhas de barro, como o modelo abaixo. Mas, por favor, que alguma coisa seja feita por aqueles que dependem do transporte público. Afinal, eles não pagam apenas pela locomoção.

simples

Adendo – 05/01/2014

O estudante Amaury Andrade, que está cursando o 5º período de arquitetura e urbanismo na Universidade Nilton Lins, de Manaus, projetou este modelo de ponto de ônibus com telhado verde para amenizar o calor e os brises laterais para permitir ventilação e proteger do sol e chuva a pessoa que estiver na parada. Os profissionais já formados e experientes podiam fazer a mesma coisa, não? O que é preciso para termos pontos de ônibus de verdade em Bragança Paulista?

amaury_andrade

Pontos encontrados

Num passeio feito em 6 de janeiro, encontrei alguns pontos de ônibus ao longo da Avenida Antônio Pires Pimentel e na Rua Doutor Freitas, no Matadouro, o que me fez perceber que eles existem somente onde as calçadas têm largura suficiente para instalação do modelo adotado pela prefeitura de Bragança, como mostram as fotos abaixo:

pires_pimentel

matadouro

Conclusão: o problema não são os pontos de ônibus, mas, as calçadas.

Artigos relacionados

Leia também

Close
Close
%d blogueiros gostam disto: