A corda para o Brasil!

0
107

A maioria dos brasileiros e brasileiras desconhece o significado de existencialismo, a doutrina filosófica segundo a qual o Homem teve primeiramente uma existência metafísica que consiste no princípio para resolução de todos os problemas. Porém, na prática, este povo revela-se como bom exemplo das definições do existencialismo ateu de Jean-Paul Sartre, priorizando sua existência, para, só depois, determinar a sua essência através das suas ações e forma de viver a vida, e a vive não como fática, mas como realidade individual mundana.

Não entendeu? Pois é. É exatamente assim que temos sido manipulados. Tente entender com a explicação mais simples que vem a seguir:

Você, que independentemente do seu grau de instrução ou posição econômica, gostando ou não, faz parte do povinho brasileiro tem sido vítima do ilusionismo governamental. E o que vem a ser isto? Trata-se de uma tática política para enganar os que não pertencem e não estão mancomunados com aquela casta e são por ela tripudiados, aceitando sua condição inferior, como trouxas, ignorantes, alienados, avessos à leitura, covardes, acomodados, preguiçosos, tacanhos e corrompidos por pseudo vantagens miseráveis.

O funcionamento é simples: o governo arranca, com o respaldo de leis criadas por seus asseclas, o dinheiro do povo que trabalha e usa esse dinheiro para garantir uma vida nababesca para todos os seus aliados, e ainda consegue comprar com o pouco que sobra a admiração dos que são roubados por ele. Em resumo, o governo faz com que toda a riqueza gerada no país seja usada em seu próprio benefício, fortalecendo-se cada vez mais e garantindo sua perpetuação no poder, tornando-o absoluto.

Vejamos um exemplo prático:

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (21) o cálculo das indenizações das transmissoras que renovaram antecipadamente as concessões em 2013. A agência estimou que precisará ser cobrado dos consumidores, via tarifa de energia, o montante de R$ 62,2 bilhões, ao longo de oito anos (até 2024).

Isto é o que tem sido publicado. A maioria não percebe que não passa de mais uma cortina de fumaça para cegar os consumidores. Nada mais é do que uma estratégia espúria de assegurar um lucro muito maior às transmissoras, visto que estas estão sofrendo uma avalanche de processos reivindicando a devolução do que vem sendo cobrado indevidamente nas contas de energia com a aplicação do ICMS sobre outros impostos, quando deveria incidir somente sobre o fornecimento. O erro foi constatado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), confirmado durante os trabalhos da CPI da Tarifa de Energia Elétrica, assumido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e pelo presidente da Cemig, mas até hoje os valores cobrados indevidamente dos consumidores não foram devolvidos. “São R$ 7 bilhões pagos a mais na conta de luz pelos consumidores durante sete anos. Em valores corrigidos, a quantia pode alcançar a cifra de R$ 12 bilhões” (2012).

Isto acontece no Brasil inteiro, mas você não sabe para onde vai esse dinheiro. As pessoas não buscam informação, não gostam de ler, e quando o fazem, são seletivas, preferindo se ater às banalidades.

O terceiro “mandamento” do decálogo de Lênin diz “Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais“. Assim foi feito durante os 13 anos de governo do PT. A despeito dos mais de trinta partidos políticos existentes, o povo se dividiu em duas categorias, “mortadelas” e “coxinhas”, uns negando tudo o que é dito e pensado pelos outros. Assim, revelamo-nos reles marionetes, seguindo a vontade de um governo que nunca foi realmente populista, mas, manipulador.

Petista de carteirinha, convicto defensor de Lula e Dilma, Davis Sena Filho, escreveu em sua coluna, no artigo intitulado “Serra monta farsa, sai do governo para se blindar no Senado e contar com a proteção do STF e da PGR contra a Lava Jato“. Eis um trecho do artigo:

“Dinheiro público aplicado diretamente em seus bolsos, de forma que possam viver durante todos os anos de suas vidas, juntamente com suas famílias e associados, como verdadeiros nababos, a se locupletar do estado patrimonialista, que transfere seus recursos para os negócios privados dos inquilinos da casa grande. É a praxe há 517 anos neste País; e é exatamente o que o governo fundamentalista de mercado e pária de *mefistófeles — vulgo *MT — está a fazer a toque de caixa e a seguir à risca sua agenda negativa, entreguista, ultraliberal e inacreditavelmente contra os interesses do Brasil.

Porém, aqui é o Brasil. Um pardieiro sem lei e sem respeito, onde viceja uma burguesia dona da casa grande extremamente violenta, corrupta e perversa, bem como odeia profundamente o Brasil, sendo que três dos inúmeros motivos são os preconceitos raciais, de classe e origem, além do inenarrável, indescritível e incomensurável complexo de vira-lata. É de doer nos ossos, na alma e na consciência. Aqui é a terra da bagunça, lugar onde se efetivam golpes, e o mais rico, o que pode mais, invade com violência e arrogância o espaço do outro e não respeita seus direitos.

Então, vamos à pergunta que não quer calar: há condições, mínimas que sejam, para confiar em um Supremo que se tornou minúsculo? Trata-se de uma corte que se apresenta muito menor que o Brasil e dele não é digno, que se tornou tenebrosamente partidária, muda e surda, pois cega sempre foi e pelo andar da carruagem vai continuar a não enxergar os crimes daqueles que a Justiça defende e protege. É o fim da picada.”

Davis Sena FilhoDavis Sena Filho é editor do blog Palavra Livre.

 

Nunca votei no PT e não concordo com tudo que diz o artigo, mas, em sã consciência, como posso discordar deste trecho se ele diz toda a verdade? Como rotular o autor como inimigo se ele enxerga o mesmo que eu?

É simples: o maior problema do Brasil são seus políticos, não importa de que partido sejam. Cada um deles tem seu preço, e o governo não tem dificuldade alguma para arrancar mais dinheiro do povo para comprá-los sempre que precisar. O povo sempre sairá perdendo. Sempre. E continuará merecendo sua fama de trouxa, ignorante, alienado, avesso à leitura, covarde, acomodado, preguiçoso, tacanho e corrompido por pseudo vantagens miseráveis enquanto não descobrir sua força e usá-la com coragem nas ruas.

Temos que ser coxinhas e mortadelas indigestos, mas só para com o governo e os políticos que nos desprezam sentindo-se donos do País. Não uns contra os outros. Temos que nos unir para vencer aqueles que estão se lixando para quem sofre com as ações e decisões que são tomadas para nosso prejuízo com o único propósito de aumentar seus próprios benefícios. É preciso parar esse jogo!

Como?

  1. Faça um enorme sacrifício indo às ruas; leve a família junto, chame seus vizinhos, parentes, colegas, conhecidos, enfim, ajude a encorpar a multidão que quer mostrar seu descontentamento com a situação que todos estamos vivenciando. É só um dia!
  2. Aproveite e conte para todas as pessoas como elas estão sendo lesadas pelas transmissoras de energia elétrica e empresas de telecomunicações, convença-as a entrar na Justiça com ações contra essas empresas reivindicando a devolução de tudo que foi cobrado indevidamente, pelo menos nos últimos cinco anos, e faça isso você também.
  3. Cobre dos políticos que você ajudou a eleger uma postura mais coerente com os seus interesses e de todo o povo brasileiro. Não somos coxinhas ou mortadelas, somos gente!
  4. Exija a aprovação das 10 medidas contra a corrupção na forma como foram definidas e mostre para o Congresso Nacional que a vontade do povo é soberana sim!
  5. Apoie a operação Lava Jato. Você não precisa prender os bandidos, a Polícia Federal fará isso por você, para proteger você e os que você mais ama, para que você não seja mais roubado(a).
  6. Prepare-se para as eleições de 2018 definindo seus candidatos desde agora. Escolha os que não têm ficha suja e não estão envolvidos em nenhum dos escândalos que tem levado o país para o fundo do poço. De preferência, não vote em políticos profissionais, esses que não querem perder a boquinha de jeito nenhum.
  7. Não fuja de discussões sobre política. A sua omissão pode ser suficiente para causar prejuízos irrecuperáveis ao Brasil e a você mesmo.
  8. Lute para que os salários e benefícios dos políticos sejam reduzidos. Lembre-se de que você não tem direito a nada parecido e paga, com seu dinheiro, para que eles tenham tantas mordomias.
  9. Não brigue com as pessoas que defendem partidos ou políticos que você não aprova, mostre a elas a verdade: elas jamais serão beneficiadas por A ou B, pois os políticos só fazem por si mesmos.
  10. Leia mais, interesse-se, instrua-se, não se permita ser um(a) alienado(a), um(a) ignorante. Caso contrário, você sempre será manipulado(a).

 

Voltando às questões existencialistas, agora que já sabemos quem somos e de onde viemos (saber que viemos dos ventres de nossas mães já nos satisfaz), temos que responder à pergunta “para onde vamos?“, se em busca da nossa felicidade e de nosso engrandecimento ou se para o buraco, como desejam os políticos.

NÃO DEIXE QUE ACABEM COM O BRASIL. LUTE PELO QUE É SEU!

No início desta postagem, a menção a “brasileiros e brasileiras” é uma chacota àqueles que, a exemplo da presidANTA que teve seu mandato interrompido, esqueceram-se de que quando nos referimos aos dois sexos (originalmente conhecidos), usar o gênero masculino é o que manda a regra, sem excluir ou menosprezar o sexo feminino.

NÃO COMENTADO

DÊ SUA OPINIÃO